Congelados veganos

Image

Eu, descabelada, ansiosa para experimentar a coxinha vegana da Goshen.

Há pouco mais de um mês o mercadinho São Luiz passou a vender congelados ovolactovegetarianos e veganos da Goshen, entre eles, os seguintes produtos: salsicha, presunto, linguiça, empanado, hambúrguer, almôndega, bife, etc.
Desses, os que provei (e que são veganos) foram o presunto, o quibe e a coxinha. Todos são muito gostosos e valem a pena pra quando bate aquela vontade de comer uma besteira não saudável, quando se quer receber amigos ou em um aniversário. 
O preço ainda é salgado: cada congelado desses custa em torno de dez reais ou mais. Creio que é porque o mercado começa a se estabelecer aqui em Fortaleza, que, segundo pesquisa do IBGE, tem dos maiores números de vegetarianos no Brasil, com 14% da população declarando-se vegetariana. 
Em comparação a 2008, quando me tornei vegana pela primeira vez, hoje em dia está bem mais fácil de aderir ao veganismo em Fortaleza. \o/
Vale dizer que também existem as opções de hamburgueres ovolactovegetarianos da Sadia, que eu não como porque sou vegana.

Anúncios

Leites vegetais industrializados

 

Image

Para os que não querem fazer os leites vegetais em casa, desde junho de 2012 o supermercado Pão de Açúcar tem vendido os leites vegetais da marca italiana Isola Bio. Uma linha de bebidas 100% vegetais, orgânicas e sem glúten, lactose, colesterol e adição de açucares, valorizando os sabores dos ingredientes.
Encontrei os seguintes itens da linha: aveia; arroz com amêndoas; arroz com avelã; espelta (trigo vermelho); milho branco; arroz com baunilha; arroz com coco; e quinua com chocolate. Desses, experimentei a de arroz com avelã, aveia e quinua com chocolate. Todos tem o meu selo de aprovação de sabor. O mais parecido em questão de sabor ao leite desnatado é o leite de aveia. O de avelã eu tomaria sem nada tranquilamente, de tão gostoso. Todos eu coloquei em café, chá, e nescau e ficaram muito saborosos.
Eles custam entre 9 e 12 reais. Como eu só tomo leite uma vez ao dia, eles rendem bastante pra mim. Penso que daqui a algum tempo eles se popularizarão, como um dia o leite de soja foi uma grande novidade e hoje em dia é comum e existem leites de soja com preço próximo ao do leite de vaca. Além disso, eles são orgânicos, algo que encarece produtos (ainda). Se alguma marca brasileira resolver fabricá-los, seria lindo (e incrivelmente mais barato).
Penso que essa comercialização aqui no Brasil seja um começo. 🙂 Eu me viciei nesses leites vegetais industrializados, até porque eles não tem aditivos químicos (estabilizante, espessante, aromatizante…) e não tem um sabor artificial.

Referências:
http://imprensa.grupopaodeacucar.com.br/pao-de-acucar-fortalece-organicos-com-linha-de-leite-de-arroz-e-aveia-sem-gluten-e-lactose/
http://www.isolabio.com/pages/standard.aspx?id=56

Leites vegetais

Image

Como eu havia falado em outro post sobre os danos que o leite de vaca pode causar, fiquei de postar sobre os leites vegetais, que são uma excelente substituição para o leite de vaca, já que temos o hábito tão enraizado de tomar leite.
Leites vegetais são “extratos” de inúmeros grãos e sementes, tais como castanha, linhaça, arroz, amendoim, nozes, quinua, semente de abóbora, soja, aveia, etc.
Através deles é possível eliminar a lactose da dieta e acrescentar os nutrientes dos cereais, das leguminosas e das frutas secas.
Veja alguns dos nutrientes de cada leite vegetal:

– Leite de castanha: rico em carboidratos, proteínas, vitaminas do complexo B, ferro, magnésio, fósforo e potássio.
Preparo: Um copo de castanhas para três a quatro de água. Bata e coe bem.

– Leite de linhaça: rico em ômega 3 e 6, além de ser antiinflamatório.
Preparo: Um copo de linhaça para quatro copos de água. Bata e coe três vezes em peneira fina. Dá três copos de leite.

– Leite de arroz integral: Os nutricionistas dizem que o leite de arroz “descansa” os órgãos do corpo. Tem proteínas, vitamina B1 e niacina, responsáveis pela transformação das proteínas e carboidratos em energia.
Preparo: Deixe de molho por oito a dez horas, dois copos cheios de arroz. Leve ao fogo com o dobro de água. Exemplo: dois copos de arroz para quatro de água e assim proporcionalmente. O arroz deve ficar ao fogo sob a medida da mão, ou seja, assim que a mão não suportar mais o calor, é hora de desligar e abafar. Bata e coe várias vezes seguidas. Dois copos de arroz rendem meio litro de leite.

– Leite de amendoim: rico em proteínas e gorduras benéficas.
Preparo: O amendoim utilizado deve ser sem sal e sem casca. Deixe de molho um copo de grãos. Após mais ou menos 8 horas, bata-os no liquidificador com três a quatro copos de água filtrada ou mineral. Coe cerca de cinco vezes para obter quatro copos de leite puro. O amendoim é o leite que mais deixa resíduos.

– Leite de quinua: riquíssimo em proteínas e, segundo os antigos incas, o alimento mais rico do planeta em aminoácidos e vitaminas.
Preparo: Coloque de molho por oito horas um copo de quinua em grãos. A seguir, bata no liquidificador com três copos de água filtrada ou mineral e coe por três vezes. Rende cerca de meio litro de leite.

– Leite de aveia: rico em fibras solúveis, cálcio, ferro, magnésio e vitaminas do complexo B. Auxilia no controle da glicemia.
Preparo: Separe um copo de aveia em flocos. Hidrate em água por uma noite. Na manhã seguinte, bata com três a quatro copos de água, coe e obtenha um litro de leite.

– Leite de gergelim: rico em proteínas, ácido fólico e cálcio.
Preparo: Um copo de sementes de gergelim dá quatro copos de leite. Deixe as sementes de molho por oito horas e bata com quatro copos de água. O resíduo do gergelim batido pode virar um delicioso “queijelim”. Acrescente azeite, sal, orégano e misture bem até atingir a consistência de corte.

DICAS EXTRAS:
Todo leite vegetal pode ser tomado puro ou adoçado com melaço, açúcar mascavo, etc. Vale inventar e criar suas próprias receitas. Eles combinam muito bem com frutas e podem ser batidos no liquidificador com banana, mamão, maçã, abacate, até abacaxi.
Para obter uma consistência homogênea, os leites vegetais necessitam ser coados de três a quatro vezes em peneira fina ou pano macio. Coe, separe o bagaço e volte a coar sucessivamente. No caso de optar pelo pano, faça um saquinho largo e reserve-o só para esse fim.
Os leites vegetais não toleram temperaturas elevadas. Conserve-os sempre em geladeira e se precisar aquecer, não deixe ferver, pois podem talhar. O uso da canela é indicado quando o leite for aquecido.

Ou, se você preferir, pode comprar os leites industrializados, que será o assunto do meu próximo post. 🙂

Fontes:
http://www.cityshoes.com.br/blog/voce-ja-ouviu-falar-em-leites-vegetais/
http://www.cantinhovegetariano.com.br/2007/05/leites-vegetais.html

Moby

Dei uma sumida por conta do fim do semestre na faculdade e início das aulas na escola que trabalho, mas já estou de volta, prometo!
Não sei se vocês sabem, mas o Moby é vegano há mais de vinte anos. Nesse vídeo super amor, ele ensina a fazer panquecas veganas.
Deixei aqui só pra vocês verem como ele é um fofo.

E aqui ele fala de veganismo:

(Desculpem, mas não achei um link com legendas)

Delícias veganas – parte 1

Tem como fazer bolo sem leite e sem ovo? E se eu quiser fazer meu aniversário vegano, onde posso encomendar bolos e salgados em Fortaleza?
Resposta: TEM SIM! A fantástica cozinha da Carol é uma EXCELENTE opção.
Image

Resolvi encomendar semana passada dois mini bolos (de chocolate e de cenoura), e 6 cupcakes, e GENTE. SÉRIO.

Image
(Cupcakes divinos da Carol, sabor mesclado e cobertura de chocolate)

Os cupcakes dela são livres de leite e derivados e ovos, e alguns são livres de soja também. Diferente dos outros cupcakes que eu havia experimentado, o dela não é excessivamente doce, é fofinho como os bolos e tem um recheio de chocolate meio amargo delicioso.

Se vocês ficaram com água na boca como eu só de ler essa descrição, acessem a página dela no facebook e vejam as outras gostosuras veganas, com vários sabores (cenoura, chocolate, doce de leite, etc.): http://www.facebook.com/AFantasticaCozinhadaCarol

De salgadinho temos o El laricón.
Image
Deles eu experimentei as tortinhas doces, que são ótimas. A massa é leve, integral e deliciosa. E vários sabores.

Image
(pastel de forno com recheio de berinjela)

Ficou interessado(a)? http://www.facebook.com/ElLaricon

Aniversários e comemorações mais ecológicos e livres de crueldade! \o/

Cálcio e ferro na alimentação vegana

Image

A pergunta mais frequente que os veganos escutam, além do clássico “e a proteína?” que pretendo discorrer em outro post, é “Se você não toma leite, qual é a sua fonte de cálcio?” e “Mas você vai ficar anêmica(o), não?”.
George Guimarães, nutricionista especialista em alimentação vegetariana, explica: “A noção de que o cálcio é exclusividade do leite da vaca é fruto de um elaborado trabalho de propaganda por parte das indústrias de laticínios. Apesar de não poderem afirmar diretamente que o leite de vaca é a única fonte de cálcio (isto seria propaganda enganosa) a indústria busca passar esta noção ao consumidor.” Em uma palestra¹, o médico Lair Ribeiro explica como foi construído na sociedade ocidental o mito de que necessitamos de leite para ter ossos e dentes saudáveis. Ele pontua vários riscos que o consumo de laticínios traz para a saúde humana, pois o ser humano é o único animal que continua a amamentar mesmo depois de crescido. Produtos lácteos não fazem parte da dieta na China, Japão, Vietnã e Tailândia. No entanto, a população desses países possuem uma das mais baixas taxas de osteoporose e fratura óssea no mundo. O consumo de leite está relacionado à maior incidência de dermatite atópica, cólica e constipação intestinal, diarréia, bronquite asmática, enxaqueca, rinite alérgica, câncer de mama e de próstata, entre outras doenças.
Além disso, é demonstrado por muitos estudos científicos que os alimentos de origem vegetal oferecem um cálcio que é mais bem utilizado pelo organismo do que o cálcio que tem origem no leite e derivados. Isso significa dizer que, quando a ingestão se dá em quantidade adequada, a qualidade do cálcio vegetal não deixa nada a desejar ao cálcio de origem animal.
Ok, Yvanna. Mas e quais são outras fontes de cálcio? Segundo o nutricionista, os vegetais verde-escuros (brócolis, couve e quiabo) e folhas escuras (rúcula, espinafre, couve manteiga) são excelentes fontes de cálcio e estão acompanhados de uma série de outros nutrientes importantes para o metabolismo do cálcio, como o potássio e a vitamina K. As frutas secas (figo, damasco, uva-passa) e as castanhas e sementes (nozes, avelãs, amêndoas, castanha-do-Pará, semente de girassol, gergelim, entre outras) são fontes bastante concentradas deste mineral e são muito fáceis de serem armazenadas, transportadas e consumidas. Já as leguminosas (soja, tofu, lentilha, ervilha, grão-de-bico, feijões), muitas delas tão presentes no cardápio do brasileiro, são também boas fontes e o melado-de-cana completa a lista oferecendo uma grande concentração de cálcio. Estas são as principais fontes de cálcio em uma dieta livre de produtos de origem animal.
Com relação ao ferro, por que é então que existe o mito com relação ao ferro na dieta vegetariana? De fato, parte do ferro encontrado nos produtos de origem animal é mais bem absorvido do que o ferro encontrado nos produtos de origem vegetal e de fato algumas fontes animais de ferro são muitíssimo superiores quando comparadas às fontes vegetais do mineral. Mas isto não significa que as fontes vegetais de ferro não sejam suficientes para suprir a necessidade do organismo humano. O fato de haver uma alternativa superior não faz da outra uma alternativa insatisfatória. No caso do ferro, a alternativa vegetal é satisfatória, mas alguns cuidados ajudam a garantir a ingestão e adequados. Esses cuidados compreendem a seleção de boas fontes do mineral, a inclusão de alimentos que melhoram a sua absorção e a exclusão de alimentos que a atrapalham.
Boas fontes vegetais de ferro são as leguminosas (com destaque para a lentilha, o grão-de-bico, a soja e o tofu), as castanhas e sementes (com destaque para as sementes de abóbora, de gergelim e a castanha de caju), os vegetais verde-escuros (especialmente a couve), as frutas secas (damasco, ameixa e uva-passa) e o melaço da cana-de-açúcar. Alguns cereais integrais também ajudam a complementar a ingestão de ferro entre os vegetarianos. Todos esses alimentos devem estar presentes em abundância na dieta vegetariana.
É notável que estes mesmos alimentos ricos em ferro sejam também boas fontes de cálcio e muitos deles também de proteínas. Ou seja, uma dieta vegetariana que esteja adequada em proteínas e em cálcio, estará necessariamente adequada em ferro. Observação: para melhorar a absorção do ferro presente nesses alimentos, precisamos consumir uma fonte de vitamina C (uma quantidade moderada de sucos, por exemplo, na hora do almoço).

¹Vale a pena assistir a palestra:

Referências:
http://www.nutriveg.com.br/ferro-na-dieta-vegetariana.html
http://www.nutriveg.com.br/caacutelcio-na-dieta-vegana.html

Como escolher e higienizar frutas e verduras.

Image

(Feira Agroecológica do Benfica, na pracinha da Gentilândia)

Estou na seção de frutas e verduras. E agora, como escolher? Como saber se estão maduras de mais ou de menos? E o que pode trazer riscos à saúde?

Pesquisei um pouco e encontrei algumas dicas.

Escolhendo as frutas e verduras:
Dica geral: Verifique a consistência, textura e cor do alimento.

Maços que tenham algumas folhas queimadas ou amareladas devem ser de imediato descartados, pois indica que já passou algum tempo em câmara frigorífica, reduzindo o tempo que você poderá conservar em sua geladeira. Já as folhas com pequenos furos podem estar com algum tipo de larva.
Caso você não compre nas feiras, onde estão as melhores opções, e acabe indo ao supermercado, tente observar em qual dia elas estão mais frescas, e marque na porta de sua geladeira, pois, salvo nas grande lojas, as verduras chegam uma vez por semana.

–> Dicas específicas:

  • Alface, espinafre e folhas verdes em geral: Observar se as folhas estão bem verdes e viçosas. Se já estiverem amareladas e com manchas pretas, escolha outra.
  • Alho e cebola: Aperte nas extremidades. Se ceder um pouco, está bom. Já a cebola, observar se não está muito suja, se não está melando e se não está murcha. Eu nunca compro quando está sem aquela casquinha.
  • Abóbora: Veja se não há manchas escuras na casca, que fogem da cor padrão. Você pode comprar as que já estão expostas abertas, pois abóbora é muito grande pra se consumir de uma vez só.
  • Abacaxi: Sei que a fruta está madura pelo cheiro. Aqui em Fortaleza, quando o abacaxi está maduro, fica muito cheiroso, além de mais amarelado. Mas, se estiver melando, não compre.
  • Beterraba: Não escolha as muito grandes. Quando mais firme, melhor. Mas se estiver mole, ainda está boa para o consumo.
  • Batata: Não compre batatas que já estiverem com brotos e muito menos com manchas verdes. Nem cortando vale a pena.
  • Berinjela: Deve estar com a cor uniforme e brilhante, além de bem lisa e firme. Se houver furinhos pela superfície, pode ter larvas dentro.
  • Cenoura, chuchu e pepino: todos não podem estar moles, mas firmes e com a cor viva.
  • Banana: Tem gente que gosta de comprar verde, eu prefiro comprar a banana já amarela, mas sem manchas, que ainda dá uma margem de 3, 4 dias pra comer, e já está madura.
  • Manga: Tem que estar firme e não tão verde, mas com partes já cor de rosa.
  • Laranja e limão: Se estiverem duros, é sinal de que estão sem muito suco. O sinal que eles tem suco é quando estão com a casca bem lisa.
  • Tomate: Eu compro quando o tomate está entre o verde e o vermelho, e com a pele impecável e lisa. E tem que estar firme, jamais mole.
  • Pimentão: Eles precisam estar lisos, com a cor viva, sem ranhuras, e firmes.
  • Brócolis: Sempre preste atenção entre os talos pra ver se há larvas ou lagartas. Mesmo nos brócolis congelados eu já encontrei larvas. As folhinhas não podem estar escuras ou pretas, e ele tem que estar com um verde vivo, se estiver esbranquiçado, está bem perto de estragar.

Higienizando as frutas e verduras:

Mesmo que você não consuma com a casca (tipo banana, laranja, tangerina), precisa lavar como todos os outros. Cubra com água as frutas e verduras a serem lavadas, e, para cada litro de água, coloque uma colher de sopa de água sanitária. Deixe de molho por 15 minutos e enxágue com água corrente. Deixe secar na temperatura ambiente e guarde na geladeira.

Aqui um vídeo MARA resumindo o post de hoje:

Referências:

http://www.acessa.com/jfimoveis/arquivo/truques/2006/02/10-maduro/
http://cozinha.moreinfo.com.br/dicas-e-truques/saiba-como-escolher-frutas-legumes-e-verduras/

1 semana de veganismo – balanço

Hoje faz pouco mais de uma semana de veganismo, e, posso afirmar que algumas coisas mudaram:

1. Emagreci três quilos desde a semana passada.*
2. Tenho menos vontade de comer coisas com ovos e leite.
3. Sinto-me mais saciada em todas as refeições (diferente de quando era ovolactovegetariana).
4. Intestino virou reloginho.

Talvez porque aumentei o consumo de legumes e frutas, além de fibras, mas essas mudanças consegui perceber nessa semana que passou. 
* Fiquei pasma com o número 1, porque comi 2 barras de chocolate da Casino e sorvete vegano quase todos os dias, mas enfim, a balança não engana. Vale ressaltar que eu NÃO sou vegana para emagrecer nem ser mais saudável. É uma filosofia de vida.

Chá preto – anima e alimenta

Chá preto - anima e alimenta

Ontem ganhei de presente vários pacotinhos de chá preto inglês. Nunca tinha pensado que poderia ser tão saboroso.
Fiz à moda inglesa: infusão por 3 minutos, um toque de leite (de soja, no meu caso) e açúcar. Ficou muito gostoso.
Além de ter a metade de cafeína que café, tem mais vitaminas e minerais do que ele, por isso estou pensando em diminuir o consumo de café e aumentar o do chá preto.
“Este chá possui também uma grande quantidade de nutrientes, como as vitaminas E e K, que são muito importantes para a saúde da pele e para o sangue, o manganês, que favorece o crescimento e é benéfico para a função hormonal e o fluor, que protege os dentes das cáries.”
Segundo outras fontes, esse chá também previne o câncer e doenças no coração: “Os pesquisadores acreditam que o hábito de beber chá em vez de café é um dos fatores responsáveis pelo menor índice de infarto em países do Oriente. Além disso, o chá tem cerca de metade da quantidade de cafeína do café.
Os chás preto, verde e chinês são obtidos a partir da planta Camellia sinensis, rica em substâncias antioxidantes, chamadas polifenóis, que evitam a ação destrutiva das moléculas de radicais livres que atacam as células. E cientistas americanos garantem que as substâncias dos chás têm maior poder antioxidante que as vitaminas C e E.”

Viva o chá preto!

Referências:
http://www.tuasaude.com/beneficios-do-cha-preto/
http://www.vegetarianismo.com.br/sitio/index.php?option=com_content&task=view&id=972&Itemid=103